fragrâncias que alavancam vendas

Ele pode ser usado de maneira bastante ampla, em produtos, material gráfico a ser distribuído no PDV ou em ações de marketing direto, em anúncios publicitários em revistas, em gôndolas de supermercado, destacando uma marca ou categoria, na porta da loja ou, até mesmo, na loja toda, fazendo parte da ambientação e da experiência com a marca.

O marketing olfativo é totalmente assertivo, quando desenvolvido com planejamento e utilizando profissionais especializados para o desenvolvimento dos aromas que realmente tenham impacto no público-alvo.

Mas, não basta sair espirrando determinada essência que agrade, por exemplo, o olfato do dono de uma loja.

Por trás da escolha de um cheiro, há uma série de fatores que são levados em conta. Eles vão desde a mensagem que quer ser passada até as estratégias de vendas embutidas.

Por exemplo, o aroma da camomila é muito confortante, mas não poderia ser aplicada em uma ação de vendas de carro. O cliente não estaria sendo estimulado a adquirir um veículo, pelo contrário, ele iria querer correr para casa e descansar no sofá.

Existe um case do neurologista norte-americano Alan Hirsch, onde desenvolveu um estudo que comprova a influência dos aromas.

Nos estudos junto aos cassinos americanos, o neurologista conseguiu aumentar em mais de 50% o volume de apostas.

Ele monitorou o volume de dinheiro apostado em três áreas diferentes do Cassino, em três finais de semana, constatando que a introdução de uma fragrância no ambiente proporcionou o crescimento de 41,5% nas apostas. Aumentando a intensidade da fragrância, este índice chegou a 53%.

E indo mais além, aplicado em lojas de varejo, aumentou em 25% as vendas de sapatos e em 12% o consumo de soda limonada em lanchonetes de fast food.

Mas isto não acontece com cases de sucesso americano, aqui no Brasil temos um exemplo clássico.

Uma ação no período da Páscoa, em uma grande rede de chocolataria, liberava a cada meia hora o aroma do cacau nas lojas. O cheiro de chocolate que ficou no ar refletiu diretamente nas vendas de ovos de Páscoa. Em uma semana de projeto piloto, a rede viu a procura pelo produto subir mais de 20% em relação ao período correspondente no ano anterior.